Pilates: história, fundamentos e benefícios. Afinal, pilates emagrece?

Assim como em diversos âmbitos da vida, o universo fitness também passa por modismos. Você já deve ter percebido que há sempre a “modalidade do momento”, os “exercícios da vez”. Ou seja, são atividades que bombam durante um tempo, mas que possuem prazo de validade e rapidamente caem no esquecimento. Entretanto, há alguns exercícios que não são “perecíveis”, que mostraram bem para o que veio e fincaram suas raízes. Esse é o caso do pilates.

São muitos os benefícios provenientes do método, sobretudo no que diz respeito à conexão entre o corpo e a mente, ou seja, o seu maior objetivo é o uso consciente de todos os músculos envolvidos em determinado movimento. Além disso, o exercício atende os mais diversos públicos, como idosos, gestantes, atletas, dançarinos, pessoas que estão em tratamento de reabilitação, entre outros. O método é famoso por sua execução não precisar, necessariamente, do uso de equipamentos.

História do Pilates

O pilates era chamado inicialmente de contrologia.  Ele foi criado no início do século passado, pelo alemão Joseph H.Pilates. Sabe aquela velha história sobre como as dificuldades proporcionam boas ideias? Foi exatamente esse o caso de Joseph. Isso porque, desde muito novo, ele apresentava problemas sérios de saúde, envolvendo problemas de respiração, como a asma e a bronquite. Além disso, o alemão, quando criança, tinha raquitismo.

Já que Joseph estava em busca de exercícios que proporcionassem a ele formas de trabalhar a respiração, bem como fosse capaz de auxiliar no ganho de força muscular, passou a estudar modalidades como as artes marciais, yoga e, até mesmo, a forma como os animais se movimentavam. As adversidades encontradas por ele, em conjunto com toda a sua dedicação, se tornou o propulsor que deu origem ao pilates. Dessa forma, o criador do pilates definia o método como uma “completa integração entre o corpo, mente e espírito”.

Princípios

Já se imaginou tendo, de forma consciente, o controle de todos os movimentos do seu corpo? O pilates te proporciona isso. Contudo, para que isso ocorra de forma plena, deve-se aplicar seis princípios que são baseados em fundamentos fisiológicos, anatômicos e cinesiológicos. Sendo eles:

Respiração

É um dos mais básicos e, obviamente, principais do pilates. Durante a prática, deve-se prestar atenção na respiração, tendo em mente que a inspiração deve ser profunda durante a realização dos exercícios, para que, assim, todos os grupos musculares recebam a devida oxigenação. Dito isso, a expiração também deve ser levada em conta, buscando sempre realizá-la de forma completa.

Centralização

Esse fundamento diz respeito ao centro do corpo, denominado, por Joseph Pilates, como powerhouse. Ou seja, é da parte central que partem todos os movimentos. Por consequência, o centro corporal é o foco dos exercícios propostos pelo Método Pilates, pois ao fortalecer a musculatura presente na região, ocorre a estabilização do tronco.

Concentração

Concentração é algo importante para o desempenho de inúmeras atividades, concorda? No pilates isso não é diferente. Segundo o método, é por meio da concentração que surge a consciência corporal do movimento. Quando o praticante se concentra plenamente, ele adquire a habilidade de direcionar a devida atenção para cada área corporal, aumentando, assim, a destreza de seus movimentos.

Fluidez, domínio e precisão

Três palavras-chave na prática do pilates. Isso porque os movimentos devem ser realizados com leveza, devem ser precisos e o praticante deve ter domínio dos mesmos. Com isso, há redução do risco de lesões.

Benefícios

Se interessou pelo método, não é mesmo? Que tal dar uma olhadinha em alguns dos benefícios que o pilates proporciona?

  • Conecta a mente e o corpo;
  • Aumenta a força, o equilíbrio, a coordenação e flexibilidade;
  • Gera consciência corporal, bem como proporciona um aumento do controle muscular;
  • Alivia dores musculares e previne lesões;
  • Aumenta a autoestima e alivia o estresse;
  • É eficiente na pós-reabilitação;
  • Melhora o condicionamento físico e mental;
  • Melhora a capacidade respiratória;
  • Corrige a postura;
  • Promove menor atrito nas articulações;
  • Equilibra as funções do corpo;
  • Ajuda a controlar o peso.

Afinal, pilates emagrece?

O pilates, sozinho, não proporciona emagrecimento. Caso tenha esse intuito, o ideal é aliá-lo a outras atividades, como corrida, natação, entre outros. Entretanto, o método pode ocasionar melhorias para o contorno do corpo, bem como tonificação dos músculos. Vale ressaltar que a atividade, pode sim, auxiliar na troca de gordura por massa magra.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.