Jejum intermitente: saiba mais sobre a prática e seus benefícios

jejum intermitente

O jejum intermitente, apesar de, recentemente, ter conquistado muitos adeptos, não é uma prática nova. Inclusive, ele é algo bem antigo. Para ser mais exato, ele data dos nossos antepassados. Isso porque nos primórdios da história da humanidade, não havia uma geladeira, ou alimentos para se consumir quando bem entender. Dessa forma, as refeições não eram feitas de 3 em 3 horas. Ficava-se durante um longo tempo sem se alimentar, até mesmo, durante dias. 

Dito isso, é comum que muitas pessoas ainda tenham ressalvas quanto à prática, pois há quem defenda que o corpo humano não está acostumado a passar mais de 3 horas sem se alimentar. Contudo, graças aos que acreditam que o nosso organismo não está adaptado a comer tantas vezes   devido ao que foi dito no parágrafo anterior  — seja sob a explicação de que o excesso de refeições pode desgastar o corpo, como pelo fato de causar o excesso de peso, o jejum intermitente se popularizou. 

Como funciona o jejum

O jejum intermitente é muito utilizado por aquelas que buscam perder peso. Ele tem como foco fazer com que o nosso estoque de gordura seja reduzido, já que os longos tempos sem comer geram tal efeito. O jejum é feito de forma intercalada, ou seja, há os períodos de alimentação e os períodos de jejum.

Ademais, janela de alimentação é o nome dado aos períodos em que se pode comer. Fora dessa janela, é permitido beber água, chás e café sem adição de açúcar ou adoçante. Além disso, todo o processo é feito através de protocolos. Exemplos:

  • Protocolo 12/12: nele o adepto poderá se alimentar em uma janela de 12 horas, com isso o jejum deverá ser feito durante 12 horas;
  • Protocolo 16/8: ele estabelece que o indivíduo deve se alimentar durante 8 horas diárias, por conseguinte, durantes as outras 16, deve-se fazer jejum.

Benefícios do jejum intermitente

Além de contribuir para eliminar aqueles quilinhos indesejáveis, o jejum intermitente possui muitos outros benefícios. Como:

  • Acelera o metabolismo: provavelmente, você já deve ter ouvido que ficar muito tempo sem comer faz com que o metabolismo fique mais lento, entretanto, quando feito em períodos menores que 48h,  o jejum acelera o metabolismo, bem como ajuda a queimar gordura;  
  • Regula hormônios: a prática auxilia a regularizar hormônios ligados ao ganho ou perda de peso,  como insulina, noradrenalina e hormônio do crescimento;
  • Não causa perda de massa muscular: diferentemente de muitas dietas, o jejum intermitente não diminui a massa muscular, pelo contrário. Ele auxilia no crescimento muscular; 
  • É um aliado do rejuvenescimento: o jejum estimula o longevidade do organismo, isso porque evita doenças que fazem com que nossos tecidos e órgãos não envelheçam rapidamente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.